sexta-feira, 3 de março de 2017

Comentário do filme A Chegada" (The Arrival) de 2016 - spoilers leves

Um filme que me surpreendeu bastante nestes dias foi "A Chegada" (The Arrival).
 
O filme foi muito bem dirigido, sem pressa nenhuma, seguindo algumas convenções sobre os tradicionais filmes de invasão alienígena e nos surpreendendo com uma boa história, ao invés de uma patriotada enlatada descerebrada. Pode-se dizer que este filme é o "Contato" desta década.
 
Inclusive o filme tem algumas similaridades com o filme baseado no livro de Carl Sagan, tendo uma heroína determinada tendo que lidar com o grande mistério alienígena e ao mesmo tempo tendo que lidar com militares truculentos que estão esperando qualquer desculpa para abrirem fogo.
 
Eu também senti uma similaridade com o primeiro episódio com o seriado "Deep Space Nine"(1991) (no Brasil conhecido como "Jornada nas Estrelas: A Primeira Missão"), na qual os alienígenas vivem fora do tempo linear, e tentam se comunicar com uma pessoa cheia de traumas que não consegue seguir com a vida devido a uma tragédia. E essa pessoa precisa juntar passado e futuro para se tocar que o tempo é simultâneo.
 
"A Chegada" está totalmente em sintonia com "Jornada nas Estrelas: A Nova Geração" de 1987, na qual a GUERRA representa a falha, não a vitória. A guerra tem que ser impedida usando o cérebro, a diplomacia.
 
Em um dos melhores momentos do filme, a protagonista que precisa se comunicar com os alienígenas, remove seu traje pesado de proteção contra bactérias e se apresenta como uma pessoa. Para ter confiança é preciso oferecer confiança.
 
Esse e outros muitos detalhes que celebram a não agressividade são uma brisa refrescante, uma boa dose de ficção científica televisiva dos anos 90 dando suas caras  nos dias de hoje, também dera, o livro na qual o filme se baseou ("Story of Your Life" ) foi escrito em 1998.