sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Os mangás americanos de Adam Warren


Adam Warren é um caso único nos quadrinhos. Pelo menos, eu não conheço outro desenhista de quadrinhos americano que ama tanto os mangás japoneses que chega a superá-los. Ele trabalhou para a Epic Comics (Dirty Pair),  DC comics (Novos Titãs), IMAGE (Gen-13) , MARVEL (Homem de Ferro), Dark Horse (Star Wars) e agora com trabalhos próprios (Empowered).
Em 1989 o desenhista queria comprar os direitos para desenhar uma HQ americana baseada no desenho animado japonês de comédia de ficção científica  "Dirty Pair"(1986). Ele conseguiu mostrar seu portfolio para o criador da série, que impressionado, autorizou a publicação da série, que sinceramente, na minha opinião é anos luz MELHOR que o desenho animado original.  Foi a maior prova de amor de um fã para uma série modesta.
Na história do anime "Dirty Pair", em um futuro distante a humanidade está espalhada por vário sistemas solares em uma gigantesca civilização galáctica. Nesse mundo, uma empresa particular de mantenedores de paz envia agentes para apaziguar "encrencas". No caso, eles mandam as duas agentes Kei e Yuri para resolver as situações, e elas sempre acabam deixando um rastro gigantesco e desproporcional de destruição, toda vez.
Adam Warren criou uma série de mangá completamente hilária, continuando a história do modesto anime. No mangá em português, elas foram chamadas de "Panteras do Espaço", que é o apelido pelo qual elas querem ser conhecidas, mas visto o banho de destruição que elas causam, elas receberam um apelido que odeiam, de "Panteras do Inferno". 




Para a DC comics. Adam Warren fez uma edição especial em estilo mangá para os NOVOS TITÃS. "Titãs, Pedra Papel e Tesoura".   (também publicada no Brasil pela editora Mythos)  Essa edição enigmática pegou um monte de gente de surpresa. Em um futuro longínguo, uma jovem mutante, Jamadagni Renuka, tenta salvar sua colônia de um ataque de monstros espaciais.  Ela tem o poder mutante de manipular a realidade e tornar real qualquer magia imaginária que ela quiser, por exemplo, criar um ataque real conjurando o jogo "jokenpô", de "pedra, papel e tesoura". Para defender a sua cidade, ela decide montar uma equipe baseada nos "super-heróis imaginários" e ela escolheu os "Novos Titãs" como base. Como os Titãs originais tinha um feiticeira (Ravena), um ciborque (Ciborgue), uma alienígena (Estelar) e um humano lutador bem intencionado (Robin) ela faz uma formação parecida.   Ela virou  a "feiticeira"(Bruxilda), a ciborgue (Musadróide), o alienígena baseado em energia que habita um corpo morto (Lindefunto) e o humano lutador bem intencionado (Capitão Casca Grossa).


"Grunge: O Filme".  Essa obra prima dos quadrinhos de humor transborda refêrências. Desde os filmes de kung fu e tiroteios de Hong Kong, até os outros personagens da IMAGE e os próprios mangás.   Só pra relembrar, no começo dos anos 90, o desenhista superstar Jim Lee foi um dos criadores da IMAGE comics, e ele tinha sua equipe, um sub-selo chamado Wildstorm e um dos carros chefe desse selo era a HQ "GEN 13". Se "Wildcats" era copiado ..ahem...  inspirado em "X-men", "Gen 13" era inspirado em "Novos Mutantes".  GEN 13  começou muito bem, roubando a cena com histórias muito bem desenhadas pelo fantástico J. Scott Campbell.  

Okay, nesse especial de 'GEN 13" o personagem Grunge, depois de ver um filme do Jet Li com sua namorada Roxy imagina como seria o seu filme de "Hong Kong" perfeito, com todos os clichês possíveis: cenas na China antiga, tiroteios em Hong Kong, manobras impossíveis com revólveres, kung fu "bêbado", todos sendo imaginados como se fossem os "heróis" da IMAGE.

No caso de Star Wars mangá, quase foi um caso de propaganda enganosa, só as capas eram desenhadas pelo Adam Warren, mas a arte interna era desenhada por um cara igualmente competente, o talentoso Hisao Tamaki, que também desenhou as "Dirty Pair" depois, o que prova que o mundo é pequeno.

Essas são as minhas dicas, todas essas HQs foram publicadas no Brasil a preço de banana, divirtam-se!  :)